Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Cade aprova, com restrições, compra de ativos da Sacel pela Prosegur

Notícias

Cade aprova, com restrições, compra de ativos da Sacel pela Prosegur

Ato de concentração

Aval do órgão antitruste foi condicionado à assinatura de um Acordo em Controle de Concentrações
por Assessoria de Comunicação Social publicado: 21/12/2020 16h08 última modificação: 21/12/2020 16h08

Nesta segunda-feira (21/12), o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou com restrições a aquisição de ativos da Sacel - Serviços de Vigilância e Transporte de Valores pela Prosegur. O aval do órgão antitruste foi condicionado à assinatura de um Acordo em Controle de Concentrações (ACC).

A conselheira relatora do caso, Paula Azevedo, destacou em seu voto que o mercado de transporte e custódia de valores tem passado por um movimento sistemático de concentração econômica, marcado por uma série de aquisições trazidas à análise do Cade. Desse modo, em atenção às preocupações concorrenciais levantadas por esse movimento, a Prosegur negociou um ACC no qual assume compromissos capazes de atenuar os potenciais efeitos concorrenciais da operação.

Pelo acordo, a Prosegur fica proibida de participar de atos de concentração envolvendo outras empresas que ofertem serviços de transporte de valores nos estados de Sergipe, Alagoas, Bahia e Pernambuco, pelo período de quatro anos. A empresa também não poderá, pelo período de três anos, realizar operações neste setor nos estados da Paraíba e Rio Grande do Norte, exceto sob algumas condições previstas no ACC.

Além disso, pelos dois anos seguintes, a Prosegur deverá informar ao Cade sobre quaisquer novas aquisições nos estados de Sergipe, Alagoas, Bahia e Pernambuco, independentemente do faturamento das empresas envolvidas. Essa mesma obrigação se aplica a futuras operações nos estados da Paraíba e Rio Grande do Norte, mas pelo período de três anos.

Em caso de descumprimento das obrigações previstas a Prosegur pagará, por ato de concentração, multa no valor de R$ 5 milhões, sem prejuízo da possibilidade de o Cade analisar a ocorrência de gun jumping decorrente da não notificação da operação nos termos acordados no ACC.

Acesse o Ato de Concentração nº 08700.001227/2020-49.